11 agosto 2010

RESENHA DO LIVRO "ELOGIOS DA LOUCURA"

Olá Pessoal tudo bem? bom depois de alguns dias sem postar material estou de volta das férias, e para começamos vamos postar uma resenha que fiz sobre um livro maravilhoso de Erasmo de Rottedam, ELOGIOS DA LOUCURA. Espero que vocês gostem.


Elogio da Loucura é uma obra do Autor Desidério Erasmo, mas conhecido como Erasmos de Rotterdam, nascido em Rotterdam Holanda, logo cêdo é obrigado pelo destino a ser introduzido num convento, onde teve  oportunidade de esar em constante contatos com os livrose com, com autores classicos.

A vida no convento e o seu contato com o latim e o grego, lhe proporcionou um olhar muito crítico da sociedade a qual ele vivia. A oportunidade que o destino lhe deu, foi muito bem aproveiotada, pois a visão tanto de teólogo como de sacerdote, o permitiu filosofar de forma crítica com argumentos inerrantes sobre a loucura que ara praticamente o eixo central qsue movia tudo ao nosso redor.

Para entender o que o autor disserta em sua obraé necessário discorremos um pouco sobre o contexto que esta obra esta insirido. O momento é de grandes trasformações, tanto intelectual como religiosa, Erasmo é classificado como um dos grandes filosofos do período do Renascimento e que a sua obra muito contribuiu para a quebra de paradoxos e acelerar ainda mais as ideias de transição da Idade Média para a Idade Moderna.


O autor começa o seu livro com uma saudação ao seu grande amigo Thomas Mourus, o qual no tom de irônia relata ao amigo que foi uma forma descontraida para fazer passar o tempo que resolveu escrever "Elogios da Loucura".

" mas [...] visto que julgava ter a qualquer custo de fazer alguma coisa e que a hora  não parecia a uma meditação seria, ocorreu-me tecer o elogio da loucura".

Elogios da loucura é uma obra que traz a crítica de forma irônica, mas objetiva, nesta obra o autor colocar que o mundo é regido por uma deusa, e esta chama-se loucura, a sua obra é recheada de analogias que nos leva sa navegar pelas belas histórias classicas, chegando a demonstrar a sua intima relação com a cultura grega.


O autor traça  em seu livro uma linha de defesa e elogios da loucura, ele chega a defender que dentre todos os prazeres do mudo conteporâneo, ele prefere o culto  e a exaltação ao estranho, como mecanismo de loucura.

O livro traz uma leitura muito profundo sobre a loucura que move o mudo, por exemplo: A guerra, o que é a guerra se não traços bem definidos da loucura, pois mesmo sabendo que pode ter a sua vida ceifada pela morte, ele participa , o autor comenta: isso é loucura.


A loucura apontada em seu livro não se trata de uma seta apontada para uma única pessoa, mas sim da humanidade, como ele mesmo descreve em um dos seus trechos: "[...] censurando a vida e os costumes humanos, sem pessoalmente ferir ninguém".


Elogios da Loucura pe s em medo de errar, ua grande obra e um legado para os amantes do conhecimento, pois ele nos revela fortes críticas, que estão embasadas e muito bem fundamentadas, ele traz uma verdadeira e mui prazerosa reiletura da humanidade e deixa claro que ele não é o précurssor desta defesa, pois Cícero já fazia esta leitura.

O autor não poupou suas críticas quando comenta as atitudes e comportamentos de classes como: os poetas, os filosofos, os teólogos, os monges e os reis e principes da corte e os pontífices.

Aos poetas a crítica é sobre a corida pela fama e reconhecimento, e  não percebem que os loucos vivem melhor, justamente por não observarem tal coisas. Já os filosofos se julgavam pelo tamanho da barba e julgando ser os únicos sábios. Já os teólogos se escondem atrás da bandeira da fé, julgando tudo como heresia.

Finalmente chega a vez dos Pontífices que se julgam descendentes de Pedro e defensor da fé cristã, contudo não negam a riqueza e que o amor tanto pregado esta registrito apenas ma hora das missas, pois acabando a missa acaba o amor também.

O autor termina seu livro com uma brilhante  narração onde como um promotor bem informado terce o seu próprio documento de defesa. Ele fundamenta seu discurso nos autores classicos , que antes dele já falavam sobre a loucura, mas temendo que estas fontes fossem refutadas pelos teólogos, ele traz a sua defesa a luz das escrituras.

Portanto podemos concluir que entender Elogios da Loucura de erasmo de Rotterdam nada mais é do que exercitar a loucura que há dentro de  nós, pois só um louco para entender outro louco.

Por: Fábbio Xavier
Teólogo e  Graduado em História (em formação)

0 comentários:

Copyright © 2008 – 2013 História Nova em Foco Todos os Direitos Reservados a Fábbio Xavier


  © Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP